10 Dicas dos mestres da fotografia para fazer uma impressão fine art

 

1) Saiba por onde começar ( por Oleg Oprisco)

Mais da metade do trabalho é  saber o que fazer. Embora existam muitas coisas para procurar e muitas exceções que podem ser feitas, a orientação inicial é a de reproduzir detalhes finos sem usar truques na finalização.

Foco, profundidade de campo, sombras e detalhes, gradação suave, ruído mínimo e superfícies impecáveis ​​são todos muito importantes. As exceções são úteis se forem feitas por algum motivo estético. Descubra como as grandes impressões podem ser feitas, olhando para algumas das melhores obras em galerias e museus. Nada como a coisa real para ter uma boa ideia.

2) Escolha um conjunto de tintas confiável ( por Rosie Hardy)

Nem todas as tintas foram criadas igualmente. Para fazer as melhores impressões, escolha o melhor conjuntos de tintas. As melhores  tintas produzem negros ricos, equilíbrio de cinza bom e cores saturadas. Oferecem um diferencial de brilho substancialmente reduzido. Possuem secagem rápida e permanente e são tanto resistentes à luz quanto à água.

3) Escolha um Substrato Expressivo (por  David Talley)

Tome um pouco de tempo para explorar suas opções. Há muitos papéis bons para escolher. Você pode imprimir também em outros substratos como madeira, metal e plástico. Cada material traz dimensões únicas para suas imagens. Experimente e avalie antes de se comprometer.  Vale a pena explorar as suas opções neste campo em rápida evolução. Faça testes. As vezes economizar em testes termina comprometendo tudo.  E uma vez impressas, você vai se sentir menos confortável em querer corrigir os seus erros.

4) Use um gerenciamento de cores. (por Alex Stoddard )

Siga estes seis passos:

  1. Use um espaço de edição com um gama amplo e dispositivo de edição neutro como o Adobe RGB.
  2. Calibre seu monitor usando um aparelho calibrador.
  3. Defina suas configurações de cores do Photoshop para que alertem quando as operações de gerenciamento de cores estão prestes a acontecer e dar-lhe opções de como elas serão tratadas.
  4. Fazer um “Softproof” antes de imprimir para escolher uma intenção de renderização e fazer ajustes específicos de saída.
  5. Usar o driver de impressora corretamente, escolhendo perfis de alta qualidade e um único tipo de gerenciamento de cores.(cada impressora possui um)
  6. Controlar a luz do seu ambiente de edição e avaliação de provas e impressões em ambientes neutros e bem iluminados. ( use lâmpadas balanceadas)

5) Faça uma prova antes de imprimir (por Brooke Shaden)

Gerenciamento de cores ajudam em 90% do caminho, mas para obter os últimos 10% que você precisa fazer uma prova antes das impressões finais. Para obter as melhores impressões possíveis, muitas vezes você precisa fazer ajuste finos como melhorar os detalhes sombras mais escuras. São estes últimos 10% que muitas vezes separam uma boa impressão das grandes impressões.

6) Procure entender qual é o seu objetivo (por Peter Jamus)

Antes de começar, tome um pouco de tempo para decidir onde você quer ir e como você quer chegar com a sua impressão. Você não vai perder tempo e estará muito menos propenso a frustração. Com uma idéia clara do que você quer alcançar, as etapas ficarão mais claras e será muito mais fácil alcançar o seu objetivo.

7) Use um check list (por Sean Mundy)

Pilotos e médicos fazem check list. Você deveria fazer também.

Não importa quão inteligente ou praticado você é, você vai esquecer de algo. Uma lista de verificação simples irá mantê-lo no caminho certo. Certifique-se de que os detalhes importantes não foram esquecidos. O uso de um check list ajudará a garantir a melhor qualidade, poupando tempo e dinheiro. Ex. Posição da luz, filtros corretos, ventos, pessoas a volta….

8) Detalhamento da imagem (por David Lindsey Wade)

Detalhamento da imagem em um processo lógico de três etapas; Captura, criatividade no processo de fotografia e de saída para impressão. Durante a conversão do arquivo RAW, foco na imagem é fundamental. Evite fazer ajustes posteriores que possam prejudicar a composição. Durante a otimização da imagem, ajuste os efeitos (seletivamente ou não). Antes de imprimir, ajuste as condições de saída, levando em conta a impressora, papel e tamanho.

9) Imprima em uma escala apropriada (por Lyndon Wade)

Não dá para fazer um cartaz a partir de um selo. Não imprima imagens tão grandes que imperfeições distraiam a experiência de visualização. Escolha uma escala apropriada. Retratos em miniatura oferecem experiências muito diferentes do que impressões grandes. Escolha uma escala que melhore a imagem que você já tem. Maior nem sempre é melhor.

10) Capriche a sua apresentação ( por Henrik Knudsen )

Mesmo as melhores impressões serão julgadas se não forem apresentadas com cuidado. Há muitas maneiras de melhorar a apresentação de suas imagens.

Defina uma estética que complemente o seu trabalho. Mas, não deixe a apresentação competir para a atenção com seu trabalho. Hoje existem muitas formas de apresentar as suas formas, que vão de Metacrilato até impressão UV.

Author: paulo

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *